Archived 2010-2011 topics: Kaempfer’s Woodpecker (Celeus obrieni): request for information on its population size

Link to BirdLife species factsheet for Kaempfer’s Woodpecker

Kaempfer’s Woodpecker Celeus obrieni is currently listed as Critically Endangered under criterion C2a(ii), because it was suspected to have a population numbering fewer than 250 mature individuals, undergoing a continued decline owing to habitat loss and degradation, with at least 90% of mature individuals in one sub-population.

Listing under this category has been maintained as a precautionary approach, despite recent records that extend the species’s known range (e.g., Pinheiro and Dornas 2008). Mapping of these records increases the current Extent of Occurrence (EOO) to c.313,000 km2. In addition, new records for Goiás state have recently been uncovered in museum collections (Pinheiro and Dornas 2008, Dornas et al. 2009), extending the species’s historic range to c.534,000 km2 and increasing the area over which the species may still be present. The species is suspected to be strongly associated with bamboo identified as Gadua paniculata, which has an extensive distribution, increasing further the potential range of C. obrieni (Pinheiro and Dornas 2008).

Draft range map for Kaempfer’s Woodpecker

The species’s scarcity within its range indicates that it exists at low densities, but the new EOO suggests that the species’s population is likely to number more than 250 mature individuals. However, no new estimates have been made of the population density and total population size.

Within its range cerrado woodland and gallery forest are regarded as very fragmented, with perhaps only 3-5% of its original habitat remaining (B. Hennessey in litt. 2010). Large-scale clearing has taken place for cattle ranches, with remaining patches of forest left excessively dry due to exposure, often with large hardwood trees removed. This species specialises in feeding on bamboo ants, with c.80% of its foraging time spent acquiring this food source; however, bamboo reportedly occurs in only 5% of the remaining forest (B. Hennessey in litt. 2010). In addition to clearance for pasture, the species’s habitats are threatened by conversion to other forms of agriculture, such as Soybean cultivation (P. Develey in litt. 2007).

Despite the apparent severity of threats, the rate of habitat loss and likely rate of population decline have not been estimated for this species. Further information is requested to help in the assessment the species’s population size and trend and thus inform the evaluation of its threat status.

Dornas, T., do Valle, N. C. and Hidasi, J. (2009) Celeus obrieni: dois novos registros históricos para o estado de Goiás. Atualidades Ornitológicas 147: 18-19

Pinheiro, R. T. and Dornas, T. (2008) New records and distribution of Kaempfer’s Woodpecker Celeus obrieni. Revista Brasileira de Ornitologia 16: 167-169

Related posts:

  1. Archived 2010-2011 topics: Helmeted Woodpecker (Dryocopus galeatus): downlist to Near Threatened?
  2. Archived 2010-2011 topics: Hawaii Elepaio (Chasiempis sandwichensis): retain as Vulnerable?
  3. Yellow-headed Manakin (Xenopipo flavicapilla): request for information
  4. Archived 2010-2011 topics: Hudson’s Canastero (Asthenes hudsoni): request for information
This entry was posted in Archive, South America and tagged . Bookmark the permalink.

4 Responses to Archived 2010-2011 topics: Kaempfer’s Woodpecker (Celeus obrieni): request for information on its population size

  1. R. Nielsen says:

    There is a very recent record by Firmino Filho in Caxias (Maranhão) marginally to the northeast of the ‘probably current range’ on your map.

    http://www.wikiaves.com/midias.php?t=c&c=1172&s=10794

  2. Tulio Dornas says:

    Dos dois aspectos mencionados: tamanho populacional e ocorrência geográfica, apenas para o segundo temos dados mais concretos atualmente.

    De fato, conforme apresentado por R. Nielsen, os registros de C. obrieni para Caxias-MA e General Carneiro-MT aumentam significativamente a ocorrência geográfica da espécie para além da “probably current range” and “probably historical range”. Inicialmente suspeito que a área final de ocorrência do C. obrieni esteja muito próxima desta nova área limitada ao leste de Mato Grosso passando pelos estados de Goiás e Tocantins até nordeste do Maranhão, alcançando o noroeste do Piauí, .

    Cabe destacar que nossa experiência de campo (aqui me refiro a mim, Renato T. Pinheiro e equipe) nos permite sugerir que as condições dos habitats preferenciais de C. obrieni nos estados de Mato Grosso e Goiás estariam em situação mais delicada, pois ambos os estados apresentam seus cerrados, matas de galeria ou matas ciliares bastante alteradas e em muitos dos casos fortemente fragmentadas e com tamanhos reduzidos.

    Essa situação é atualmente menos preocupante no Tocantins, Maranhão e Piauí, pois nestes três estados ainda se encontram milhares de hectares contínuos de cerrado mesclados a tabocais. Entretanto as políticas de desenvolvimento apoiadas no agronegócio nestes três estados tem sido ameaçadores para a conservação dos ambientes naturais. Por exemplo, no Tocantins tem sido noticiado uma grande expansão dos projetos de silvicultura com plantio de Eucalyptus sp. para abastecer a industria beneficiadora de papel que aqui está se instalando. A previsão é que mais 1.000.000ha de cerrado sejam convertidos em plantações de Eucalyptus sp.. Além do Eucaliptus sp., o plantio de cana-de-açúcar e soja tem crescido bastante no Tocantins. Deste modo, embora tenhamos algumas dezenas de registros de C. obrieni no Tocantins (dados não publicados) que inicialmente nos dão certo conforto quanto à conservação e existência de uma população numerosa da espécie no Tocantins, o cenário futuro para o Cerrado no Tocantins não é dos mais promissores e a situação do C. obrieni ainda permanece desconfortável e sob ameaça.

    Com relação ao tamanho populacional são poucas as certezas ainda. Em trabalhos de campo no leste do Tocantins (dados não publicados) pude constatar, em dois dias de trabalho, em uma área de aproximadamente 1.000ha a presença de pelo menos 9 indivíduos. Já na região central do Tocantins, em uma outra oportunidade, detectei dois casais em um transecto de 2 km. Em ambas as localidades estudadas havia grande abundância de tabocais (Guadua paniculata) mesclada aos cerradões e mata de galerias.

    Por fim, penso que uma recategorização de C. obrieni dentro da Red List IUCN dependerá de um maior debate e mais estudos. Embora a ampliação da área de distribuição da espécie dá indicativos de uma provável mudança de categoria de ameaça, talvez passando para “em perigo”, a insuficiência de dados populacionais ao longo desta nova e ampla área de distribuição e a perspectiva de grandes alterações na cobertura vegetal devido ao avanço do agronegócio sejam ainda razões importantes para continuar a categorizar C. obrieni em “criticamente ameaçado”.

Comments are closed.