email a friend
printable version
Location Brazil, Goiás,Tocantins
Central coordinates 48o 0.00' West  12o 49.00' South
IBA criteria A1
Area 472,744 ha
Altitude 250 - 1,200m
Year of IBA assessment 2008

SAVE Brasil (Affiliate)



Site description A IBA corresponde à porção do interflúvio dos rios Tocantins e Paranã localizada dentro do Estado do Tocantins. A confluência desses rios e a Área de Proteção Ambiental Lago de Peixe/Angical formam o seu limite norte, e a divisa entre os Estados de Goiás e Tocantins, o limite sul. Uma cadeia montanhosa, chamada Serra das Traíras, estendese ao longo do interflúvio e atinge cotas altitudinais acima de 1.000 m. Nessa serra está localizado o ponto culminante de Tocantins, com cerca de 1.340 m de altitude A paisagem é caracterizada por um mosaico de diferentes fisionomias vegetais, como cerrado sensu stricto, cerradões, matas ciliares, florestas semidecíduas aluviais, buritizais e babaçuais, essas últimas nas partes mais baixas e ao longo dos rios Nas encostas da Serra das Traíras desenvolvemse florestas semidecíduas que, em sua porção setentrional, possuem semelhanças com o chamado “Mato Grosso de Goiás”, ou formações mais similares às florestas de caráter atlântico que outrora exsitiram no centro e sul de Goiás. Entre as árvores que se destacam estão Hymenaea courbaril, Copaifera langsdorffii, Anadenanthera spp., Schefflera morototonii e Guazuma ulmifolia Campos limpos e cerrados rupestres são encontrados acima dos 1.000 m de altitude, sendo esses últimos floristicamente semelhantes aos encontrados na região da Chapada dos Veadeiros

Key Biodiversity Como várias outras áreas no Estado do Tocantins, a região é carente de informações ornitológicas Em um levantamento de 32 horas de observações, foram registradas 254 espécies de aves, um número considerável tendo em vista o pouco tempo de amostragem Na Serra das Traíras foram encontrados Neothraupis fasciata (cigarra-do-campo), Anodorhynchus hyacinthinus (arara-azul-grande) e Geositta poeciloptera (andarilho) Elementos atlânticos, como Philydor rufum (limpa-folha-de-testa-baia) e Saltator similis (trinca-ferro-verdadeiro), estão presentes nas florestas de encosta dessa mesma serra Nos cerrados em cotas altitudinais mais baixas ocorre Charistospiza eucosma (mineirinho) A vegetação junto às margens do rio Paranã serve de hábitat a alguns grupos de Penelope ochrogaster (jacu-de-barriga-castanha), constituindo um dos principais sítios para a conservação da espécie no Estado do Tocantins Em razão da existência de pequenos rios de águas cristalinas nas zonas serranas, é possível a ocorrência de populações de Mergus octosetaceus (pato-mergulhão) na região.

Populations of IBA trigger species

Species Season Period Population estimate Quality of estimate IBA Criteria IUCN Category
Chestnut-bellied Guan Penelope ochrogaster resident  2004  unknown  A1  Vulnerable 
Hyacinth Macaw Anodorhynchus hyacinthinus resident  2004  unknown  A1  Vulnerable 
Coal-crested Finch Charitospiza eucosma resident  2004  unknown  A1  Near Threatened 
White-banded Tanager Neothraupis fasciata resident  2004  unknown  A1  Near Threatened 

Protected areas

Protected area Designation Area (ha) Relationship with IBA Overlap with IBA (ha)  
Lago de Peixe/Angical State Environmental Protection Area 78,873 protected area contained by site 78,873  
Lago de São Salvador do Tocantins, Paranã e Palmeirópolis State Environmental Protection Area 14,525 protected area contained by site 14,525  

Habitats

IUCN habitat Habitat detail Extent (% of site)
Forest Gallery (or Riparian) forest; Tropical semi-deciduous forest  -
Shrubland Arid montane scrub; Cerrado  -
Savanna Cerrado  -

References www.to.gov.br/Geografia; Pacheco & Olmos (2006); Fábio Olmos (verb.).

Contribute  Please click here to help BirdLife conserve the world's birds - your data for this IBA and others are vital for helping protect the environment.

Recommended citation  BirdLife International (2014) Important Bird Areas factsheet: Interflúvio dos Rios Tocantins e Paranã. Downloaded from http://www.birdlife.org on 22/12/2014

To provide new information to update this factsheet or to correct any errors, please email BirdLife