email a friend
printable version
Location Brazil, Pará
Central coordinates 50o 47.00' West  2o 49.00' South
IBA criteria A1
Area 3,422,612 ha
Altitude 20 - 160m
Year of IBA assessment 2008

SAVE Brasil (Affiliate)



Site description A rodovia PA167 e o limite da Floresta Nacional de Caxiuanã formam a borda oeste dessa IBA, situada logo ao sul da Ilha de Marajó. Entre os extremos sudoeste e sudeste, o limite é dado por uma linha paralela à BR230 (Transamazônica), que exclui as áreas antropizadas existentes ao longo desse trecho da rodovia. A borda oeste segue alguns rios e a rodovia PA15 Por fim, a rodovia PA368, o rio Pacajá e a Baía de Caxiuanã perfazem o limite norte. O perímetro da IBA engloba a F. N. de Caxiuanã e, conseqüentemente, a Estação Científica Ferreira Penna, mantida pelo Museu Paraense Emílio Goeldi e voltada ao desenvolvimento de pesquisas científicas na região, inclusive sobre a biodiversidade Dados obtidos nessa estação científica indicam uma pluviosidade anual em torno de 000 mm, com estação chuvosa entre dezembro e maio; a temperatura média é de 26,7ºC e a umidade relativa gira em torno de 87% Predomina em toda a região a floresta ombrófila densa de terras baixas, com uma menor incidência da fitofisionomia submontana a sudeste. Ao longo dos rios Alto Anapu, Pacajá e Camaraípe há florestas aluviais. Árvores emergentes com mais de 45 m de altura destacamse na paisagem, como Anacardium microcarpum, Trattinickia rhoifollia, Dinizia excelsa, Aspidoderma nitidum, Pouteria oppositifolia e Tachigalia mirmecophila

Key Biodiversity A rica avifauna da região é altamente representativa da sub-região "Pará" Alguns importantes elementos amazônicos fazem parte da avifauna peculiar encontrada a leste do rio Tapajós, como Neomorphus squamiger (jacu-estalo-escamoso) e Xipholena lamellipennis (anambé-de-rabo-branco). O raro N. squamiger foi observado apenas nas proximidades da Estação Científica Ferreira Penna5 e o registro é um dos poucos obtidos até hoje no Brasil. A área também é de grande importância para Guarouba guarouba (ararajuba) e Pyrrhura lepida (tiriba-pérola), ambas psitacídeos ainda comuns na região, Anodorhynchus hyacinthinus (arara-azul-grande) ainda não foi encontrada na área, mas sua presença é esperada em razão da boa população existente na região da chamada Volta Grande do Xingu (IBA PA07), situada a apenas cerca de 80 km a sudoeste .

Populations of IBA trigger species

Species Season Period Population estimate Quality of estimate IBA Criteria IUCN Category
White-crested Guan Penelope pileata resident  2006  unknown  A1  Vulnerable 
Harpy Eagle Harpia harpyja resident  2007  30 individuals  unknown  A1  Near Threatened 
Crested Eagle Morphnus guianensis resident  2006  unknown  A1  Near Threatened 
Golden Parakeet Guaruba guarouba resident  2007  unknown  A1  Vulnerable 
Pearly Parakeet Pyrrhura lepida resident  2007  30 individuals  unknown  A1  Vulnerable 

IBA Monitoring

2008 high not assessed not assessed
  unset
-

Natural system modifications other ecosystem modifications happening now some of area/population (10-49%) moderate to rapid deterioration high

Protected areas

Protected area Designation Area (ha) Relationship with IBA Overlap with IBA (ha)  
Arióca-Pruanã Extractive Reserve 83,445 protected area overlaps with site 7,149  
Caxiuaná National Forest 200,000 protected area contained by site 0  

Habitats

IUCN habitat Habitat detail Extent (% of site)
Forest Tropical lowland evergreen forest  major

References Lisboa (2002); Costa & Moraes (2002); Ilkiu-Borges et al. (2002); sensu Parker et al. (1996); Valente (2006); Sidnei de Melo Dantas (dados inéditos); Alexandre Aleixo (verb.); Smith (2002); Sidnei de Melo Dantas (verb.).

Contribute  Please click here to help BirdLife conserve the world's birds - your data for this IBA and others are vital for helping protect the environment.

Recommended citation  BirdLife International (2014) Important Bird Areas factsheet: Caxiuanã / Portel. Downloaded from http://www.birdlife.org on 20/12/2014

To provide new information to update this factsheet or to correct any errors, please email BirdLife