email a friend
printable version
Location Brazil, Pernambuco
Central coordinates 35o 11.00' West  8o 3.00' South
IBA criteria A1
Area 776 ha
Altitude 0 - 100m
Year of IBA assessment 2008

SAVE Brasil (Affiliate)



Site description A Estação Ecológica do Tapacurá é administrada pela Universidade Federal Rural de Pernambuco e situa-se a apenas 35 km de Recife, em direção oeste. Juntamente com áreas particulares à sua volta, forma uma constelação de fragmentos florestais no entorno do lago de Tapacurá, originado a partir do represamento do rio de mesmo nome. As matas mais importantes são Camucim, do Toró, Tapacurá, Outeiro do Pedro e do Engenho Tapacurá, que apresentam tamanho e estado de conservação variados e podem ser conectadas entre si e à mata adjacente do Engenho Mamancona através de corredores florestais. A estação ecológica protege cerca de 406 ha da floresta remanescente, estando o restante em mãos de particulares. Embora a área seja relativamente próxima do litoral, a floresta é classificada como semidecídua, justificando a presença de algumas aves típicas das matas de brejo do interior.

Populations of IBA trigger species

Species Season Period Population estimate Quality of estimate IBA Criteria IUCN Category
Tawny Piculet Picumnus fulvescens unknown  unknown  A1  Near Threatened 

References Base de dados do workshop Avaliação e Ações Prioritárias para a Conservação dos Biomas Floresta Atlântica e Campos Sulinos; www.conservation.org; Collar et al. (1992); Coelho (1987a); Azevedo Jr. (1990); Wege & Long (1995); Farias (1996); BirdLife International (2000); Farias et al. (2002); Roda (2002); Silveira et al. (2003b); Sônia A. Roda (in litt.).

Contribute  Please click here to help BirdLife conserve the world's birds - your data for this IBA and others are vital for helping protect the environment.

Recommended citation  BirdLife International (2014) Important Bird Areas factsheet: Tapacurá. Downloaded from http://www.birdlife.org on 24/07/2014

To provide new information to update this factsheet or to correct any errors, please email BirdLife